O Misterioso D.B. Cooper | Desconhecido
Desconhecido

O Misterioso D.B. Cooper

O caso do misterioso D.B. Cooper é o único caso de sequestro aéreo sem solução na história da aviação dos Estados Unidos.

Tudo começou no meio da tarde de 24 de novembro de 1971, no Aeroporto Internacional de Portland em Portland, Oregon.

Um homem que usava um terno escuro, uma gravata preta e carregava uma maleta aproximou-se do guichê de voo da Northwest Airlines se identificando como “Dan Cooper” e comprou uma passagem de ida para Seattle no Voo 305.

D.B. Cooper embarcou na aeronave junto com os 36 passageiros. Logo após a decolagem, Cooper entregou um bilhete a uma das aeromoças dizendo que tinha uma bomba e pediu para que ela se sentasse ao seu lado. Mostrou, então, uma maleta repleta de cabos e cilindros, pediu como resgate US$ 200 mil em notas de US$ 20 e quatro paraquedas.

A aeromoça levou o bilhete ao piloto. Após horas voando em círculo sobre Puget Sound, as autoridades autorizaram o pagamento do resgate e ordenaram que todos os funcionários cooperassem com o sequestrador.

A aeronave pousou em Seattle, onde Cooper permitiu que os passageiros desembarcassem junto com duas aeromoças, em troca do que exigia.

Assim que o dinheiro e os 4 paraquedas foram entregues, ele exigiu que o avião o levasse para o México. Ele também pediu que a porta traseira do avião permanecesse destrancada e que o piloto voasse baixo e devagar. Mesmo com caças perseguindo o Boeing 747, em algum lugar entre Seattle e Reno, Cooper saltou de paraquedas a 3 mil metros de altura, em plena noite, sobre as montanhas, sumindo para sempre com os US$ 200 mil.

Nunca se descobriu sequer seu nome real. Por um erro da mídia americana, o nome Dan Cooper acabou confundido com o de D.B. Cooper, um suspeito inocente investigado pelo FBI, e foi assim que ele ficou conhecido.

O mistério aumentou ainda mais em 1980, quando um garoto de oito anos encontrou três pacotes de notas de US$ 20 na margem do rio Columbia, perto de Portland. Análises confirmaram que o dinheiro era parte do resgate do sequestro de Cooper.

Após anos de investigações, em 2017 o FBI finalmente jogou a toalha. O anúncio foi feito pelo agente Frank Montoya: “Hoje, chegamos à conclusão de que está na hora de encerrar o caso, porque não há nada novo”. Colocou assim um ponto final em uma das investigações criminais mais longas da história dos Estados Unidos.

Ao longo das últimas quatro décadas, cerca de mil pessoas foram consideradas suspeitas de serem Dan Cooper. O mistério do caso já foi assunto de muitos livros, documentários, séries de TV e até filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *